5.1.12

Negro Coração

 Um dia eu pensei assim...



Lados opostos que se encontram,
sentimental e intelectualmente;
de um lado compartilho o dom de amar,
trazendo em mim a virtude de odiar.


Mudanças bruscas fazem o cotidiano;
execuções sob ordens do Estado,
nutrem em mim um sentimento libertário,
um coração alimentado pelo ódio!


Negro coração, negro coração,
refletindo a cor da revolução.
Negro coração, negro coração,
a bandeira negra hasteada: ódio em ação!





Nos velhos livros perdem-se frases
que exaltavam a paz e o amor;
falsos discursos foram ingeridos
consequentemente o povo se acomodou.


E hoje o ódio ainda é cultivado,
mantendo acesa a chama da insurreição;
muitos que trilham por uma vida nova,
cavam para o estado sua fúnebre cova.


Negro coração, negro coração,
refletindo a cor da revolução.
Negro coração, negro coração,
a bandeira negra hasteada: ódio em ação!


Renato Curse                 02 de novembro de 1.996


Esta letra fez parte do repertório da banda anarcopunk Brado Revolucionário.
O ódio a que se refere a letra é o ódio ao estado, ao governo, aos ditadores.



Nenhum comentário:

Postar um comentário