16.2.13

Eternamente Alceu Valença



Alceu Paiva Valença (São Bento do Una, 1 de julho de 1946) é um cantor e compositor brasileiro. Seu disco de estreia foi gravado em parceria com Geraldo Azevedo.
Nasceu no interior de Pernambuco, nos limites do sertão com o agreste. Influenciado pelos maracatus, cocos e repentes de viola, Alceu conseguiu utilizar a guitarra com baixo elétrico e, mais tarde, com o sintetizador eletrônico nas suas canções.


Biografia
O envolvimento de Alceu com a música começa na infância, através dos cantadores de feira da sua cidade natal. Jackson do Pandeiro, Luiz Gonzaga e Marinês, três dos principais irradiadores da cultura musical nordestina, foram captados por ele. Em casa, a formação ficou por conta do avô, Paulo Alves Valença, que era poeta e violeiro. Aos 10 anos vai para Recife, onde mantém contato com a cultura urbana, e ouve a música de Orlando Silva e Dalva de Oliveira, alternando com o ritmo de Little Richard, Ray Charles e outros ícones da chamada primeira geração do rock'n'roll.
Recém-formado em Direito no Recife, em 1969, desiste das carreiras de advogado e jornalista - trabalhou como correspondente do Jornal do Brasil - e resolve investir na música.
Em 1971, vai para o Rio de Janeiro com o amigo e incentivador Geraldo Azevedo. Começa a participar de festivais universitários, como o da TV Tupi com a faixa Planetário. Nada acontece. Nenhuma classificação, pois a orquestra do evento não conseguiu tocar o arranjo da canção.
Em 1980, lança o LP Coração Bobo (Ariola), cuja música de mesmo nome estoura nas rádios de todo o país, revelando o nome de Alceu Valença para o grande público. Apresenta-se em vários estados brasileiros.
Em 1996, ao lado de Geraldo Azevedo, Zé Ramalho e Elba Ramalho participa da série de shows O Grande Encontro, que percorreu diversas cidades brasileiras e registrada pela gravadora BMG no CD de mesmo nome.
Em julho de 2000, participa da noite "Pernambuco em canto: carnaval de Olinda", no Festival de Montreux (Suíça), ao lado de Elba Ramalho, Geraldo Azevedo, Naná Vasconcelos e Moraes Moreira.
Em maio de 2003, grava novo projeto ao vivo no Rio de Janeiro (Indie Records), reunindo vários sucessos em CD e, pela primeira vez, em DVD. Em julho, é agraciado com o Prêmio Tim de Música Brasileira na categoria "Melhor cantor regional", pelo CD De Janeiro a Janeiro, em cerimônia realizada no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Ainda nesse mês chega às lojas o CD Ao vivo em todos os sentidos. Em agosto o DVD do mesmo projeto é lançado.
Em 2009, vem trabalhando no seu filme Cordel Virtual (a Luneta do Tempo) que é um musical que não segue a linha de nenhum musical tradicional. No fundo, é um mergulho que faz em sua infância, no seu passado e este passado tem a trilha sonora das ruas do Nordeste, dos cantadores anônimos, conquistas, violeiros, emboladores, cegos arautos de feira, da música de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, do samba-canção dos anos 50, da música contemporânea brasileira.



Discografia
1972 - Alceu Valença & Geraldo Azevedo (aliás Quadrafônico)  
1974 - A Noite do Espantalho  
1974 - Molhado de Suor 
1976 - Vivo!  
1977 - Espelho Cristalino 
1979 - Saudade de Pernambuco 
1980 - Coração Bobo 
1981 - Cinco Sentidos 
1982 - Ao Vivo (Festival de Montreux-Suiça)
1982 - Cavalo de Pau 
1983 - Anjo Avesso 
1983 - Brazil Night / Ao Vivo Montreux [com Milton Nascimento e Wagner Tiso]
1984 - Mágico 
1985 - Estação da Luz  
1986 - Ao Vivo 
1986 - Rubi  
1987 - Leque Moleque 
1988 - Oropa, França e Bahia - ao vivo no Scala 1, RJ  
1990 - Andar Andar  
1992 - 7 Desejos 
1994 - Maracatus, Batuques e Ladeiras 
1996 - O Grande Encontro - ao vivo com Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho  
1997 - O Grande Encontro 2 - ao vivo com Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho
1997 - Sol e Chuva 
1998 - Forró de Todos os Tempos 
1999 - Todos os Cantos - ao vivo em Olinda, Recife e no Montreux Jazz Festival  
2000 - O Grande Encontro 3 - ao vivo com Elba Ramalho, Geraldo Azevedo e Zé Ramalho
2001 - Forró Lunar (Columbia) 
2002 - De Janeiro a Janeiro (Tropicana Produções)  
2003 - Em Todos os Sentidos (Indie Records)  
2005 - Na Embolada do Tempo (Indie Records)  
2006 - Marco Zero - Ao Vivo (Indie Records)  
2009 - Ciranda Mourisca (Biscoito Fino)  


Fonte: Wikipédia  





Um comentário:

  1. Anônimo11:47 AM

    Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir