29.3.12

Gira mundo


Tinha bons propósitos de vida, 
tão grande era a sua empolgação,
apesar de uma vida sofrida
jamais perdeu sua convicção.

GIRA MUNDO, PODE GIRAR,
MAS TRAGA MUDANÇAS
PARA  BENEFICIAR.



Mas um dia, eis a decepção:
atingido pela crise, se viu desempregado,
sem rumo e sem chance não via solução;
mais um marginal criado pelo Estado!

GIRA MUNDO, PODE GIRAR,
MAS TRAGA MUDANÇAS
PARA  BENEFICIAR.



Depois de procurado, ele foi capturado,
julgado por seus crimes, condenado à prisão.
“Meu Deus, o que acontece, eu estou desesperado,
eu juro, não queria, mas não via solução.”


GIRA MUNDO, PODE GIRAR,
MAS TRAGA MUDANÇAS
PARA NOS BENEFICIAR.




Renato Curse            16 de maio de 1.998


26.3.12

Renato Russo, o imortal poeta da Legião Urbana




Renato Russo, o já imortalizado poeta do rock nacional, nasceu no dia 27 de março de 1.960, no Rio de Janeiro, filho de Renato Manfredini e Maria do Carmo Manfredini, batizado de Renato Manfredini Júnior (o ‘sobrenome’ Russo  ele adotou na juventude em homenagem aos filósofos Jean-Jacques Rousseauu e Bertrand Russel e ao pintor Henry Rousseau).
Filho de pais de classe média, Renato Russo morou dos 7 aos 10 anos de idade em Nova Iorque e, em 1.970, retornou com os pais ao Rio de Janeiro, onde viveriam por mais 3 anos, até mudarem-se para Brasília.
Aluno de inteligência notável, aos 15 anos Renato Russo já dava aulas de inglês, porém, um triste acontecimento viria a interromper suas atividades. Com uma doença nos ossos, de fundo virótico, chamada epifisiólise – agravada na mesma época – Renato Russo foi obrigado a usar uma cadeira de rodas até os 17 anos, sofrendo mais tarde com as fortes dores conseqüentes de uma operação para a colocação de pino de platina. Como as dores eram constantes, Renato isolou-se em casa, passando a dedicar-se profundamente à leitura, à escrita e, em especial, à música, que naquela época começava a ganhar novas dimensões no rock brasileiro.  Com o surgimento do punk, as ideias de protesto e contestação transmitidas pelas bandas punkrockers, ganharam a simpatia do jovem Renato Russo.
Em 1.978, já recuperado da epifisiólise, Renato formou a banda punk “Aborto Elétrico”, lá mesmo em Brasília.
Porém, onde ele verdadeiramente se consagraria como cantor e compositor seria na Legião Urbana, formada em 1.982, com os amigos Marcelo Bonfá (bateria), Eduardo Paraná (guitarra) e Paulo Paulista (teclados).
Em 1.983, Eduardo e Paulo saíram da banda; entrou Dado Villa-Lobos na guitarra e a formação se consolidou com Renato Rocha no contrabaixo. No ano seguinte, em 1.984, lançaram o primeiro disco, intitulado apenas “Legião Urbana”. O álbum, com os hits “Será”, “Ainda é cedo”, “Por enquanto” e “Geração Coca-Cola” foi muito bem aceito pelo público e pela mídia, revelando e projetando a Legião Urbana como uma das principais bandas expoentes do rock brasileiro.
O disco “Dois”, lançado em 1.986 superou consideravelmente as vendagens do primeiro - trazia os sucessos “Eduardo e Monica”, “Quase sem querer”, “Tempo perdido” e “Índios”.
No anos seguinte, com a música que deu o título ao terceiro álbum, escrita em 1.978 para a “Aborto elétrico”, Renato Russo reforçava em “Que país é este” sua indignação com a política brasileira (ele próprio se auto-declarava um ‘anarquista-individualista’); o disco também trazia “Eu sei”, a longa “Faroeste caboclo” e “Angra dos Reis”.
A última alteração na formação da banda foi a saída de Renato Rocha que, em 1.989, no lançamento de “As quatro estações”, já não fazia mais parte do grupo.
“As quatro estações” revelou o poeta Renato Russo mais expressivo – nessa época ele assumiu publicamente sua bissexualidade – deixando canções como “Meninos e meninas”, “Quando o sol bater na janela do teu quarto”, “Pais e filhos” e “Monte Castelo” na boca da juventude.
Em 1.990, Renato Russo descobriu que era portador do vírus da AIDS, o que mudaria e muito seu comportamento – nos anos seguintes ele começou a evitar entrevistas e até as apresentações com a banda, que só se reencontrava para os arranjos e as gravações.
Em 1.991, a Legião Urbana lançou o álbum “V” (com os sucessos “Teatro dos vampiros” e “Vento no litoral”), em 1.992 o duplo ao vivo “Música para acampamentos” e, em 1.993 “O descobrimento do Brasil” (com “Perfeição”, “Vamos fazer um filme” e “Giz”).
Depois disso a banda deu uma pausa e nesse período, Renato Russo lançou dois discos solo: “The Stonewall Celebration Concert” (com letras em inglês) em 1.994 e “Equilíbrio Distante” (em italiano) em 1.995.
De janeiro a junho de 1.996, a Legião Urbana se reuniu para a gravação do último cd: “A tempestade (ou o Livro dos dias)”, um trabalho que mais parecia a despedida de Renato Russo (preste atenção na letra de “A via láctea”).
Renato Russo, o eterno poeta, morreu por volta da 01:15 h. do dia 11 de outubro de 1.996, aos 36 anos de idade, em seu apartamento no Rio de Janeiro, deixando um espaço insubstituível na música brasileira.
Em 1.997 foram lançados os póstumos “Uma outra estação” da Legião Urbana e “O último solo”, de Renato Russo, com sobras de estúdio. Em 1.998 foi lançada a coletânea “Mais do mesmo” e em 1.999 o “Acústico MTV” (gravado em 1.992), ambos da Legião.
Vale lembrar que Giuliano, o menino que todos achavam ser o filho de Renato com uma suposta modelo falecida, na verdade foi adotado por ele quando ainda era um bebê. Esse foi um dos tantos segredos que Renato Russo levou consigo (a história foi desmentida em novembro de 1.996 pela verdadeira mãe de Giuliano, na época com 7 anos)


Texto: Renato Curse             março de 2.001


(Esse texto foi publicado na edição # 20 do Informativo Mix Cultural, de 24 de março de 2.001)




VISITE O 







22.3.12

Amargo Regresso



Não entendo porque estão me olhando assim;
me ignoram, o que será que fiz de ruim?
Dona Maria nem sequer olhou pra mim,
Seu Expedito, Olegário, nunca vi agirem assim.


Será que fiz um crime ou alguma coisa bizarra?
Uma agressão, talvez um beijo arrancado na marra?
Ninguém me olha, nem me dão chance de perguntar;
quem sabe me dêem respostas quando em casa eu chegar.


Longo caminho, muitas esquinas, vários quarteirões
e a indiferença parece gritante nos fechados portões.
Caminho pensando em como será a recepção;
será que meus entes queridos também me esperam 
com pedras na mão?


Aperto o passo, quase flutuando, querendo voar;
a tarde é cinzenta, nublada, parada, é denso o ar.
Dobrando outra esquina, vejo minha casa, sinto um calafrio,
não sei se é culpa, sinto-me tomado por estranho arrepio.


Vejo muita gente, até se espremendo na porta da sala,
e vou adentrando, mas ninguém me olha, ninguém me fala.
Quando enfim eu entro, sinto parar o meu coração,
pois ao centro da sala, eu vejo meu corpo dentro de um caixão!





Renato Curse               03 de março de 2.012


Visita ao Cemitério Municipal (30 de maio de 1.998)

20.3.12

O mundo e alguns de nós, seres humanos


O mundo saúda diariamente
todos os seus habitantes,
presenteia-os com as mais lindas cenas.
Quão belos esses presentes!
Quão lindas essas cenas!

E estão aí, por toda parte,
reveladas em paisagens da natureza;
Como são exuberantes as imagens!
Como é generoso o nosso planeta
com suas divinas e ternas paisagens!


Mas por que as pessoas não dão tanto valor?

Claro, felizmente, nem todas as pessoas.

Mas como é estranho, no mínimo estranho
atos, atitude de alguns seres humanos;
que degradaram nosso belo mundo
ao longo de todos esses anos.

Estranho, mas também covarde,
inconsequente e absolutamente  
DESUMANO!





Renato Curse              22 de setembro de 2.007


18.3.12

Salário Mínimo



Trabalha o dia inteiro e não tem dinheiro,
escravizado, um pobre coitado,
assalariado, salário miserável,
já está cansado desta vida odiável.


Salário mínimo, uma ironia,
riem de você, passando fome todo dia;
Salário mínimo, que injustiça,
Salário mínimo, uma piada
Mínimo Salário Mínimo!




Dizem que a moeda está estabilizada,
mas sua aquisição não oferece quase nada,
aumenta dia a dia o custo dos produtos,
sua crise financeira está em caos absoluto.


Salário mínimo, uma ironia,
Riem de você, passando fome todo dia;
Salário mínimo, que injustiça,
Salário mínimo, uma piada
Mínimo Salário Mínimo!


Renato Curse               1.996




Esta letra também fez parte do repertório da banda anarcopunk Brado Revolucionário.

(esq. para dir.: Gilmar (Edir), Agnaldo, Rodrigo, Renato Curse)

16.3.12

Ainda te encontro no meu mundo




Os pingos da chuva foram pouco a pouco escurecendo a tonalidade da cor negra do asfalto, à medida em que a tempestade aumentava...

E lá estava eu, caminhando, já completamente molhado pela chuva, quando de longe avistei você.

Fique ainda meio em dúvida, pois a distância em que se encontrava, não permitia que eu tivesse a certeza de que era realmente você que eu estava vendo.

Não sei ao certo porque, mas algo dentro de mim fazia-me acreditar que eu não poderia estar enganado, talvez por essa razão decidi apertar o passo para me aproximar mais uma vez de ti.

Nesse instante me lembrei das coisas belas que juntos partilhamos e vivemos, dos bons momentos de outrora, em que nos completávamos mutuamente, com amor, carinho e amizade.

Lembrei-me também que a chuva realçou boa parte desses bons acontecimentos...

De repente a chuva parou, cessando também a ilusão e inevitavelmente veio o triste despertar.

Voltei à realidade e não mais avistei você à minha frente.

Sabe, ainda custo a acreditar que você morreu...

Mas um dia eu hei de te encontrar, não importa onde, pois se isso não acontecer no mundo real, vai acontecer no meu mundo!



Renato Curse                 1.998


13.3.12

14 de março de 1.998...

 

Sábado, 14 de março de 1.998...
Marcada com antecedência de uma semana, aquela pequena confraternização entre amigos foi realmente inesquecível...
Meus grandes amigos/irmãos Estevam, Lobinho, Gil, Dedeco e eu fizemos uma 'vaquinha' e combinamos o churrasco na antiga residência do Gil. 
A tarde foi regada a muita cerveja, carne assada e claro, Raul Seixas.
Com minha antiga câmera fotográfica, tiramos algumas fotos. (abaixo)
Hoje, vejo-as com muita saudade... uma nostalgia boa.


(esq. para direita: Renato Curse, Cláudia e Lobinho com o filho do casal, Vinícius, ao centro)

(Renato Curse e Cláudia)

(Renato Curse e Gil)



(Gil, Dedeco, Renato Curse, Estevam e Lobinho)

(Renato Curse, Estevam e Lobinho) 

(Dedeco, Lobinho, Renato Curse, Estevam e Gil)

___________________________________________________________________________

MEUS BONS AMIGOS
(Barão Vermelho)


Meus bons amigos, onde estão?
Notícias de todos quero saber
Cada um fez sua vida
De forma diferente
Às vezes me pergunto
Malditos ou inocentes?

Nossos sonhos, realidades
Todas as vertigens, crueldades
Sobre nossos ombros
Aprendemos a carregar
Toda a vontade que faz vingar
No bem que fez prá mim
Assim, assim
Me fez feliz, assim...

O amor sem fim
Não esconde o medo
De ser completo
E imperfeito...

Meus bons amigos, onde estão?
Notícias de todos quero saber
Sobre nossos ombros
Aprendemos a carregar
Toda a vontade que faz vingar
No bem que fez prá mim
Assim, assim
Me fez feliz, assim...

O amor sem fim
Não esconde o medo
De ser completo
E imperfeito
Não, não, não
O amor sem fim
Não esconde o medo
De ser completo
E imperfeito...






11.3.12

Adolf Hitler, Assassino maldito!



Sem dúvida nenhuma,
nada foi tão extremista
quanto a era do Holocausto,
as nojentas ideias nazistas.


Hitler, assassino maldito,
tão idiotas como você
são hoje seus filhos.





Tragédia, caos, perseguição,
fascismo, extremismo e persuasão,
mortal ditadura 
que manchou a história,
onde a derrubada 
foi a única glória.


Hitler, assassino maldito,
tão idiotas como você
são hoje seus filhos.



Renato Curse              29 de maio de 1.998



9.3.12

Chances de regressar



Lembra do seu passado, há uns 8 anos atrás?
Você era feliz e até saudável demais;
levava sua vida como um jovem normal,
trabalhava, namorava, cursava o colegial.

HOJE Parece que o tempo está querendo te matar,
mas você ainda tem chances de regressar.



Veja esse drama, veja o que você fez,
se afundou na lama, abdicou à sensatez,
envolveu sua família, todos que você amava,
hoje você humilha aqueles que mais gostava.
Viciado em cocaína, um crônico dependente,
jogou tudo pra cima, transformou-se num demente;
hoje está sofrendo e fazendo sofrer,
aos poucos vai morrendo, veja como está você!


Pare e reflita, não seja irracional,
lute e persista contra esse grande mal,
tente reconquistar a sua independência,
chega de sofrimento, meça agora as consequências!


E parece que o tempo está querendo te matar,
mas você ainda tem chances de regressar,
parece que o tempo está querendo te matar,
mas você ainda tem chances de regressar.


Renato Curse              13 de fevereiro de 1.999



4.3.12

Obrigado São Marcos!



Muito, muito poucos serão os imortais,
igualmente raros serão os eternos herois,
mas quem entra para a história, não morre jamais
e não há forças ou barreiras que emudeçam sua voz.



Voz que representou uma massa de tantos milhões,
milhões de apaixonados a quem sempre com honra defendeu;
já és eterno e estas presente em muitos corações,
por tantas glórias, vitórias e alegrias que deu.



Seu nome tem PALMEIRAS, sua alma é verde e branca,
reputação irretocável, caráter inquestionável,
e o 12 de São Marcos, na armadura em estampa
é eterno, imortal, louvável e memorável.



A imortalidade pertence aos herois, pertence aos santos
e ambos tantas vezes, você, santo heroi, provou que é;
com fibra, dignidade e heroísmo honrou o manto,
explanando sempre a todos a nobre pessoa que você é.



Quis o destino que fosse dispensado pelo maior rival,
para anos mais tarde ser para ele o maior algoz,
Libertadores 99, uma glória, um título especial
que no ano 2000 não se repetiu por acaso atroz.



Recusou milhões e uma boa vida na Europa,
encarou de frente a Série B e consagrou-se campeão;
um ano antes foi o grande heroi da inesquecível Copa,
Herói Nacional, Santo Palestrino, Santo Campeão.



Obrigado São Marcos, muito obrigado eterno santo,
Sua história é a essência da palavra idolatria;
Mais de 500 vezes você honrou e suou o manto,
Palestrino, Palmeirense, Santo, MARCOS, 
ontem, hoje, todo dia!


Renato Curse                                   07 de fevereiro de 2.012
________________________________________________________________



Marcos Roberto Silveira Reis, mais conhecido como Marcos (Oriente, SP, 4 de agosto de 1973), é um ex-futebolista brasileiro que atuou como goleiro. De 1992 a 2012, foi atleta do Palmeiras, onde é considerado um dos maiores ídolos da história do clube. Também chamado de "São Marcos" por causa de suas defesas consideradas "milagrosas", vestiu apenas a camisa alviverde em toda a sua carreira profissional, sendo decisivo na conquista de inúmeros títulos do clube, especialmente da Copa Libertadores da América de 1999.
Foi o goleiro titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 2002, quando a equipe conquistou seu quinto título mundial. Também com a camisa da agremiação nacional conquistou a Copa América de 1999 e a Copa das Confederações de 2005. Mesmo com forte identificação com o Palmeiras, conquistou a simpatia e a admiração de torcedores de times rivais no Brasil por conta de seu elogiado caráter.


Carreira
Primeiros anos
Marcos iniciou sua carreira no modesto Lençoense da cidade de Lençóis Paulista, onde atuou nas categorias de base do clube até 1992, quando foi contratado pela Sociedade Esportiva Palmeiras e se tornou atleta profissional. Antes de ser contratado pelo Palmeiras, o atleta teve uma breve passagem de três meses pelo rival Corinthians, por empréstimo do Lençoense, porém não foi oficialmente registrado pelo clube junto à Federação Paulista de Futebol. Não disputando a Copa São Paulo pelo Corinthians, o atleta acabou voltando ao clube detentor dos seus direitos federativos. João Sérgio de Morais, hoje presidente do Lençoense, era preparador físico na época em que Marcos defendia o clube e aspirava por uma carreira profissional. Ele relembra o período em que o ex-goleiro foi emprestado ao Corinthians:

- Ele ficou três meses só treinando (no Corinthians). Um dos diretores do Alvinegro tinha um filho que jogava na equipe e, por isso, engavetaram os documentos do Marcos para ele não jogar a Copa São Paulo de Futebol Júnior. Então, o Marcos me ligou e pediu para eu buscá-lo. Eu fui lá, e esse diretor passou e ouviu o Marcos falar para ele: "Estou indo embora para Lençóis, mas eu vou ser jogador de futebol e vou jogar contra o Corinthians" - revela o dirigente.

Aos 18 anos, prestes a completar 19, estreou no time principal do Palmeiras em um amistoso contra a Esportiva Guaratinguetá em 16 de maio de 1992, vencido por seu time pelo placar de 4 a 0, onde ele defendeu um penalti.
Depois desse jogo, Marcos continuou como o terceiro goleiro da equipe e só voltou a atuar novamente em 1996, quando já era o reserva imediato da posição, permanecendo nesta condição até 1999.


Titularidade
Em menos de três meses, Marcos se transformou de reserva do Palmeiras a principal astro da maior conquista do clube: a Copa Libertadores da América de 1999. O goleiro virou titular na quinta rodada da competição, devido a uma contusão de Velloso, e não largou mais a camisa titular. Para alegria da torcida palmeirense, suas melhores atuações foram nos dois jogos contra o arqui-rival Corinthians, nas quartas-de-final, quando fez defesas milagrosas que levaram a decisão aos pênaltis. Ao final da competição, além de receber o apelido de São Marcos, foi eleito o melhor jogador da Libertadores e a revelação do torneio continental.


Em 2000, reforçou sua condição de ídolo com grandes apresentações, com destaque para as partidas das épicas semifinais da Libertadores contra o Corinthians. Depois de dois duelos no tempo normal bastante disputados, o primeiro com vitória do clube alvinegro por 4 a 3 e o segundo com vitória alviverde por 3 a 2, a decisão da vaga para a final foi para os pênaltis. Marcos defendeu a última cobrança, feita por Marcelinho Carioca, ídolo da torcida rival na época, garantindo a classificação do seu time para mais uma final, em que, após dois empates, perdeu o título para o Boca Juniors da Argentina em nova decisão por pênaltis.
Em 2001, novamente na Libertadores da América, foi decisivo para o Palmeiras chegar novamente às semifinais da competição. Nas quartas-de-final, depois de dois empates no tempo normal contra o Cruzeiro, por 3 a 3 no Estádio Palestra Itália e por 2 a 2 no Estádio do Mineirão, a vaga para a fase seguinte foi para os pênaltis. Marcos defendeu três cobranças da equipe adversária e classificou a equipe paulista. Nas semifinais, contra o Boca Juniors, após dois jogos empatados por 2 a 2, o Palmeiras foi eliminado nos pênaltis.


Copa do Mundo
Em 2002, foi o goleiro titular da Seleção Brasileira campeão da Copa do Mundo, no Japão e na Coreia do Sul, sendo o único jogador da Seleção a não ser substituído em toda a Copa pelo técnico Felipão. Seus reservas eram Dida e Rogério Ceni.
No mesmo ano, foi eleito o terceiro melhor goleiro do mundo, ficando atrás de Oliver Kahn (então vice-campeão do mundo) e Rüstü Reçber (goleiro do brilhante time da Turquia em 2002).

Dificuldades
Em 2002, após a Copa do Mundo, o Palmeiras no Campeonato Brasileiro daquele ano acabou rebaixado para a Série B.

Com uma proposta do Arsenal para substituir David Seaman, a paixão de Marcos por sua família e pelo Palmeiras o fizeram permanecer no Brasil, para levar o time de volta à primeira divisão, o que ocorreu no ano de 2003. Além da tentativa do time inglês, recusou propostas de Cruzeiro, Fluminense, Internacional, Vasco para jogar na primeira divisão do futebol brasileiro.

Sobre o episódio com o Arsenal, Marcos comentou:
"Deixei de ser apenas um jogador de futebol quando recusei uma proposta de R$ 45 milhões para jogar no Arsenal, da Inglaterra, e preferi disputar a Série B do Brasileiro pelo Palmeiras."

Em 2007, sofre nova contusão contra o Juventus no dia 11 de março pelo Campeonato Paulista. Voltou aos gramados como reserva no jogo contra o rival Corinthians em que o Palmeiras venceu por 1 a 0, porém uma nova lesão, em meados de 2007, o afastou mais uma vez dos gramados. Em 2008, depois de mais de 11 meses fora, Marcos voltou a ser titular no jogo contra o Guaratinguetá na 7ª rodada do Paulistão e depois disto, não saiu mais do gol alviverde, assumindo o posto de goleiro "favorito" do técnico Vanderlei Luxemburgo, pois Diego Cavalieri estava em grande ascensão.




Volta por cima
No dia 4 de maio de 2008, sagrou-se Campeão Paulista.
No dia 21 de setembro fez  400 jogos com a camisa do Palmeiras.



No dia 1º de dezembro de 2008, o goleiro Marcos foi eleito pela IFFHS o 3º jogador mais popular do mundo ficando na frente de nomes como: o português Cristiano Ronaldo, Kaká, Messi, Ronaldinho Gaúcho. e o companheiro de posição e rival Rogério Ceni. Além disso, foi eleito o 3º melhor goleiro do Campeonato Brasileiro de 2008.


       No dia 12 de maio de 2009, em jogo contra o Sport Recife válido pelas oitavas-de-final da Copa Libertadores da América, Marcos defendendo três cobranças adversárias nas disputas de pênaltis, garantiu a ida do Palmeiras às quartas-de-final.

 Marcos também participou do Campeonato Brasileiro de 2009, mas foi prejudicado pela queda de rendimento do Palmeiras no final da competição. Mas mesmo assim foi eleito o segundo melhor goleiro do campeonato, prêmio concedido pela CBF.

No dia 14 de março de 2010, em clássico disputado contra o Santos, Marcos entrou em campo com a camisa do Palmeiras pela 483ª vez, tornando-se o segundo goleiro a disputar mais partidas pela equipe alviverde em toda a história e ficando atrás apenas de Emerson Leão, que disputou 617 jogos com a camisa da equipe.

No dia 21 de abril de 2010, em partida disputada contra o Atlético Paranaense, entrou em campo com a camisa do Palmeiras pela 489ª vez, tornando-se o oitavo jogador a disputar mais partidas pelo clube em toda a história.

Em 9 de julho de 2010, na festa de despedida do Estádio Palestra Itália para transformação numa arena multiuso, Marcos foi homenageado com uma placa comemorativa, antes de um amistoso contra o Boca Juniors, já que foi o jogador que mais atuou em toda a história do antigo estádio. Foram 211 partidas disputadas desde 1996, quando entrou em campo pela primeira vez com a camisa do Palmeiras.

No dia 19 de agosto de 2010, em jogo contra o Vitória pela Copa Sul-Americana de 2010, o goleiro Marcos alcançou a histórica marca de 500 jogos pelo Palmeiras. Neste jogo o Palmeiras venceu a equipe baiana por 3 a 0 e avançou para as oitavas-de-final da competição. Um jogo antes, no dia 14 de agosto de 2010, quando o Palmeiras derrotou o Atlético Paranaense por 2 a 0, pelo Campeonato Brasileiro de 2010, Marcos já havia atingido outra marca: ultrapassou Djalma Santos em número de jogos pelo alviverde e se tornou o sétimo jogador a disputar mais partidas pelo Palmeiras em toda a história.



Aposentadoria
     Ao longo de sua carreira as lesões sempre estiveram presentes na vida do goleiro, e a possibilidade sempre estiverem presentes como em 2000, quando fraturou o punho esquerdo e, precisou ser operado. Mas a possibilidade de aposentadoria do então goleiro com 26 anos foi descartada. Porém ela voltou a tona em 2004, durante um treino pela Seleção Brasileira, volta a se lesionar no punho esquerdo. Nova operação e mais sete meses afastado. Em 2007, Marcos novamente se machucou na partida contra o Juventus, pelo Campeonato Paulista. Após ficar praticamente um ano sem jogar, Marcos voltou ao Palmeiras em um jogo contra o Guaratinguetá, em 2008, onde acabou sendo derrotado por 3 a 0. No início de 2009, com a eleição de Belluzzo para à presidência do Palmeiras, Marcos teve seu contrato perto do fim, renovado por mais duas temporadas e, com opção para permanecer mais três temporadas na comissão técnica do clube.

Após a perda do título nacional, no ano de 2009, o Palmeiras entrou muito pressionado no ano de 2010. O time não correspondia dentro de campo, e após péssimas atuações, Marcos levantou novamente a possibilidade de se aposentar no final da temporada. Após a metade do Campeonato Brasileiro, Marcos passou a sentir dores no músculo adutor da coxa direita; foi o começo do fim do arqueiro como titular do Palmeiras perdendo a posição para Bruno e posteriormente para Deola. No ano de 2011, as dores estavam mais presentes por todo o corpo. Era visível nos jogos: tanto que das 69 partidas do time Marcos jogou apenas 27. Na reapresentação do elenco para a temporada 2012, em reunião com a diretoria palmeirense Marcos anunciou sua aposentadoria.
Sua última partida como profissional foi realizada em 18 de setembro de 2011, na partida no empate por 1 a 1, contra o Avaí, em Florianópolis, pelo Campeonato Brasileiro.

No dia 14 de Janeiro de 2012 uma legião de aproximadamente 10 mil palmeirenses formaram uma passeata chamada pela torcida de "Procissão para beatificação do Santo-Goleiro" que iria do Estádio Palestra Itália até o estádio municipal Pacaembu, onde aconteceria um amistoso do Palmeiras contra o Ajax da Holanda. O jogo terminou em 1 a 0 para o Palmeiras, com direito a muitas homenagens ao goleiro em seu primeiro jogo como ex-jogador do clube e aposentado.

Segundo a assessoria do Palmeiras acontecerá um jogo oficial de despedida para o goleiro, possivelmente com os jogadores que atuaram pelo Palmeiras no título da Copa Libertadores de 1999.



Títulos
Palmeiras
* Campeonato Brasileiro: 1993 e 1994
* Torneio Rio-São Paulo: 1993 e 2000
* Campeonato Paulista: 1993, 1994, 1996 e 2008
* Copa Mercosul: 1998
* Copa do Brasil: 1998
* Copa Libertadores da América: 1999
* Copa dos Campeões: 2000
* Campeonato Brasileiro Série B: 2003

Seleção Brasileira
* Copa América: 1999
* Copa do Mundo: 2002
* Copa das Confederações: 2005


Outras Conquistas
Palmeiras
* Torneio Lev Yashin (Rússia): 1994
* Copa Euro-América: 1996
* Taça Governador de Goiás: 1997
* Torneio Maria Quitéria: 1997
* Troféu Naranja: 1997
* Troféu Gustavo Lacerda Beltrame: 2010

Premiações
* Melhor Jogador da Copa Libertadores da América: 1999
* Revelação da Copa Libertadores da América: 1999
* Melhor Goleiro do Campeonato Paulista: 1999
* Melhor jogador da final da Copa Libertadores da América: 1999
* Melhor goleiro da Copa Libertadores da América: 1999
* 3º melhor goleiro da Copa do Mundo: 2002
* 4º melhor goleiro do mundo pela IFFHS: 2002
* 3º melhor goleiro no Prêmio Craque do Brasileirão: 2008
* 2º melhor goleiro no Prêmio Craque do Brasileirão: 2009
* Jogador que mais atuou no Estádio Palestra Itália: 2010


Curiosidade
* No dia 4 de março de 2001, no Estádio Palestra Itália, Marcos converteu um pênalti contra a Inter de Limeira pelo Campeonato Paulista, que, conforme o regulamento da época, obrigava as partidas da competição que terminassem empatadas seguirem para as cobranças de penalidades. Porém, mesmo com seu gol, a Inter venceu a disputa por 13 a 12.

* Ao lado de Marcos, que deve ganhar busto na sede do Palmeiras, somente os jogadores Junqueira, Waldemar Fiúme e Ademir da Guia foram homenageados da mesma maneira. O estatuto do clube só abre esta possibilidade a jogadores que nunca jogaram contra o Palmeiras e que tiveram grande destaque no time.

Texto: Wikipedia














VISITE TAMBÉM:


SÃO MARCOS PALMEIRAS




Clique AQUI para acessar todas as matérias referentes ao Palmeiras






1.3.12

Noturno Solitário (O Vampiro)



Mais uma noite se aproxima,
para muitos, mais um dia termina,
e com ele o stress, o cansaço, a rotina.


Não me lembro mais do sol poente,
nem da última vez que estive doente;
noite, trevas, sangue... eu, somente.


Para muitos eu não existo, sou só lenda,
melhor assim, prefiro que ninguém entenda,
não creio que exista alguém no mundo que compreenda.


Pois sou mistério, sou trevas, sou imortal,
sou muito além de mero ser sobrenatural
e a noite é minha, nela sou visto como normal.


E assim passeio, vôo, viajo, caminho,
sempre só, sempre solitário, sempre sozinho,
anseio ainda a musa, mulher do meu destino.


Pois se com centenas de anos ainda sou moço,
quem sabe um dia, entre um e outro pescoço
eu não a encontre, sem dificuldade, sem muito esforço.


Só espero que antes do meu último suspiro,
eu, que já sobrevivi ao fogo, ao veneno e ao tiro,
não termine como sou hoje: um solitário Vampiro.



Renato Curse            24/25 de fevereiro de 2.012