12.11.12

Musa Chuva



Ela exerce um estranho fascínio sobre mim,
me faz desejá-la, querê-la, adorá-la;
quando começa, torço pra não ter fim,
me tira do quarto só para contemplá-la.


Não me contento em vê-la da janela,
quero sentí-la intensa e fisicamente;
seja forte ou seja fraca, é sempre bela,
seja noite ou seja dia, linda sempre.


Muita gente não aprecia o seu show,
muita gente nem sai para vê-la,
mas eu, diferente como sou,
não me contento só em vê-la, quero tê-la.


Às vezes ela vem calminha, de mansinho,
em outras mais arisca e revoltosa;
às vezes vem com o vento, rapidinho,
e sempre me traz essa sensação gostosa.


Pode ser que caia reta ou em curva,
gosto dela de qualquer jeito.
Venha a mim, querida musa chuva
e inunde de alegria o meu peito!



Renato Curse                15 de março de 2007


Nenhum comentário:

Postar um comentário